O ebook a seguir foi elaborado de professor para professor e tem como o objetivo principal esclarecer, em especial aos iniciantes, como os jogos empresariais podem ser aplicados maneira efetiva. Embora o material seja focado para a aplicação em pós graduação, muitas dicas valem, também, para aplicação em cursos de graduação e cursos in-company.

Jogos Empresariais

Os Jogos Empresariais têm como objetivo principal proporcionar ao jogador um laboratório para testar seus conhecimentos e competências em áreas relacionadas ao mundo empresarial.

Algumas soluções são baseadas em cartelas e acessórios físicos, ficando por conta dos moderadores conduzirem o desenvolvimento das práticas. São baratos, fáceis de usar e em geral focados em aspectos ou áreas específicas.

Outras são mais sofisticadas, como os simuladores empresariais, que também requerem a atuação de moderadores, mas de uma forma diferente. Os simuladores são, normalmente, uma plataforma online onde os jogadores são reunidos em equipes que competem entre si administrando uma empresa fictícia, tomando decisões com base em relatórios gerenciais e de mercado, notícias e regras do jogo e visualizando seus impactos.

Muitas instituições de ensino estão incluindo esses simuladores em suas grades de disciplinas em cursos de pós-graduação das áreas de gestão de negócios, especialmente pela aderência e integração de conteúdos e pela satisfação dos alunos ao término das aulas.

CONHECENDO A TURMA

Procure conhecer com antecedência o perfil dos estudantes. Normalmente, as turmas de pós-graduação na área de gestão de negócios são heterogêneas, formadas por pessoas oriundas das mais diversas áreas profissionais e de formação acadêmica. Além das diferenças quanto ao domínio dos conceitos de gestão, existem ainda as características próprias dos indivíduos, tais como maturidade, motivação, timidez, comunicação e criatividade. Essa é uma situação que transforma o conflito das diferenças numa oportunidade de vivência rica, de visões distintas e que se complementam.

Dessa forma, oriente os estudantes para a formação dos grupos heterogêneos, contemplando uma combinação de perfis. Com isso, em relação ao perfil dos estudantes, o grupo será heterogêneo, mas a turma será homogênea, permitindo uma melhor fluidez das dinâmicas.

ESCOLHENDO O SIMULADOR DE EMPRESAS

Nas dinâmicas que envolvem o uso de jogos empresariais, existem diversos tipos de simuladores que podem ser configurados para ficarem adequados ao plano de ensino, assim como ao perfil da turma. O caso aqui leva em conta o desafio que se propõe aos estudantes e o tempo disponível.

Nos cursos de pós-graduação, espera-se um nível mais refinado quanto ao objetivo de se gerenciar um negócio simulado. É uma observação importante, pois uma dinâmica com jogos mais simples pode passar a sensação de exercício trivial da administração de uma empresa. Por outro lado, essa mesma dinâmica, ao usar cenários com demasiado número de variáveis e regras complexas, pode passar a sensação de impotência e incapacidade para coordenar as ações adequadas às necessidades de gestão das empresas simuladas.

Os simuladores mais modernos oferecem um recurso chamado SAD (Sistema de Apoio à Decisão). Quando o aluno utiliza esse tipo de recurso, o uso de jogos mais complexos pode trazer um efeito positivo, pois o foco das atividades fica voltado para a análise de relatórios, tabelas e gráficos, enquanto o SAD fica responsável pelo cálculo de relatórios financeiros, econômicos e contábeis.

Compreender as informações produzidas pelo SAD e entender o funcionamento das partes em seu conjunto (visão sistêmica) é o grande desafio para o êxito da administração quanto aos seus objetivos e suas metas.

Gostou do conteúdo e quer continuar lendo? Clique aqui para baixar o ebook completo.

Leia também:

English EN Portuguese PT Spanish ES