As simulações gerenciais têm se tornado grandes aliadas dos empreendedores e gestores no desenvolvimento e renovação de estratégias das empresas de todos os tamanhos e segmentos.

Também conhecidas como jogos empresariais, seu objetivo é simular e recriar comportamentos, processos e estratégias para garantir a tomada de decisão.

A metodologia, amplamente utilizada em variados setores do mercado, como na aeronáutica por meio dos simuladores de voo ou na medicina, onde os pacientes são virtuais, é altamente eficiente, pois ajuda a enxergar a organização como um todo, com seus processos, falhas e soluções.

Ao longo deste artigo, apresentamos uma listagem dos principais modelos de simulação empresarial ou gerencial, além de como eles são positivos para o desenvolvimento de um negócio de sucesso. Boa leitura!

Exemplos de simulações gerenciais

Em uma empresa, todas as mudanças e iniciativas impactam o negócio, direta ou indiretamente. As consequências, no entanto, nem sempre são previsíveis, já que há diversos fatores que influenciam no resultado final, tais como mercado, taxa de câmbio, fornecedores, clientes, poder de compra, colaboradores, entre outros.

Neste contexto, o uso de ferramentas de simulação gerencial pode ajudar a evitar danos, já que melhora a percepção acerca de que forma as mudanças nos processos refletirão em toda a organização.

Esses tipos de jogos são desenvolvidos de acordo com os aspectos e necessidades de cada empresa. Em linhas gerais, os participantes são incitados a solucionar desafios similares ao que enfrentam em seu dia a dia, criando um processo para a tomada de decisão.

Os resultados são avaliados ao final para verificar a eficácia e o desempenho da equipe, facilitando a identificação de oportunidades de melhorias.

Atualmente, no mercado, é possível encontrar diversos tipos de simulação gerencial para ajudar a sua empresa. Confira alguns dos principais métodos:

Jogos de comportamento

Com foco no desenvolvimento pessoal e capacitação da equipe, esse tipo de jogo permite trabalhar temas relacionados às habilidades, comportamentos e atitudes dos gestores e colaboradores em geral.

Ele aborda, ainda, temas e indicadores de relacionamento, enfatizando questões como trabalho em equipe, cooperação, flexibilidade, afetividade, autoconfiança, delegação de tarefas etc.

A partir de sua realização, é possível identificar problemas de relacionamento e estimular a sensação de pertencimento a um time. Isso garante o aumento da produtividade de toda a empresa, bem como ajuda melhorar o clima no ambiente de trabalho.

Jogos de processo

Com foco em habilidades técnicas, os jogos de processo enfatizam a capacidade de desenvolver um planejamento, de negociar com clientes e de administrar o tempo, as tarefas e o negócio.

Em termos gerais, eles são preparados para estimular os participantes a atingirem os seus objetivos. Com esse intuito, as equipes são divididas e devem elaborar estratégias para solucionar o problema em questão.

Jogos de mercado

Os jogos de mercado, apesar de contar com as mesmas características dos mencionados acima, são direcionados para atividades relacionadas à concorrência, clientes, fornecedores e terceirização. Enfim, tudo relacionado ao mercado e que seja relevante para negócio.

A ideia é simular ações reais, como precificação, problemas com satisfação dos clientes ou com fornecedores, entre outros.

Jogos sistêmicos

Com foco na avaliação global da empresa, esse tipo de jogo aborda temas voltados a problemas e fatores internos e externos, tais como as decisões, a integração entre diferentes funções de negócio, o acompanhamento do ambiente econômico, as mudanças no câmbio e na taxa de juros, entre outros elementos dessa natureza.

Os simuladores de empresas, por exemplo, se encaixam bem nesse tipo de jogo. Além de se enquadrarem em Jogos de mercado (tópico anterior), eles exigem que o participante conheça todas as partes de uma empresa (visão sistêmica) e seus aspectos externos antes de tomar qualquer decisão.

Jogos funcionais

Como o próprio nome sugere, esses jogos têm como objetivo ajudar a empresa a melhorar os processos em áreas funcionais, o que inclui as áreas de marketing, financeiro, operação, recursos humanos e etc. São direcionados, em especial, para níveis intermediários e inferiores da estrutura organizacional.

O gerente financeiro de uma empresa, por exemplo, poderia ser treinado para entender melhor relatórios, aprender novas técnicas ou conhecer ferramentas específicas de sua área.

Jogos cooperativos

Assim como o jogo comportamental, que tem como foco a relação interpessoal, os jogos cooperativos objetivam incentivar o compartilhamento de informações, conhecimentos e técnicas, sem necessariamente competir com o outro.

A técnica é extremamente interessante. Como o mercado é cada vez mais competitivo, é comum que os profissionais enxerguem no outro uma ameaça ao seu emprego. Esse tipo de jogo incentiva os colaboradores a ajudarem o próximo, aumentando a produtividade da empresa.

Técnicas de jogos e simulações

As técnicas e as regras dos jogos variam de acordo com o tipo escolhido e com as necessidades da empresa. Em linhas gerais, os colaboradores, gestores ou líderes são divididos em grupos mesclados, para que os conhecimentos e habilidades de cada um possam ser explorados da melhor forma possível.

A simulação pode ser realizada por meio de provas escritas, desafios online ou dinâmicas de grupo. As atividades dos jogos empresariais podem exigir, ainda, recursos e materiais diferentes, como canetas coloridas, recortes de revistas, itens de vestuário e outros objetos que contribuam para estimular a criatividade.

Com o avanço ininterrupto da tecnologia, é possível contratar softwares de simulações, que permitem que o colaborador treine suas habilidades diariamente ou com maior frequência. É uma ótima opção para que os gestores verifiquem, em tempo real, os problemas da sua empresa a fim de identificar melhorias de forma mais ágil e prática.

Para saber qual é o melhor tipo de jogo e técnica para a sua empresa, o ideal é contratar uma empresa especializada, uma vez que é preciso identificar as necessidades mais urgentes de cada área ou da empresa em geral.

Ter uma equipe preparada para realizar esse tipo de atividade garante melhores resultados. Além disso, todo jogo deve ter um moderador que ajude a definir os grupos e, principalmente, estruturar todos os papéis durante as atividades.

Ele é responsável, também, por ajudar as equipes a traçarem um diagnóstico final dos resultados obtidos nas ações.

O investimento em simulações gerenciais

Quando realizamos simulações ou jogamos, estimulamos o nosso cérebro a pensar melhor. Ou seja, passamos a analisar o clima, o cenário e as ações de uma forma mais racional, intuitiva e criativa.

Além disso, investir em simulações gerenciais têm sido bastante vantajoso para as empresas porque eles funcionam como uma espécie de programa de capacitação e desenvolvimento de competências e habilidades, bem como permitem realizar diagnósticos, integrar as áreas, conscientizar a empresa em geral e, claro, identificar oportunidades de melhorias, tornando-as grandes aliadas das empresas.

Quer saber mais sobre simulações gerenciais? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!