Os jogos empresariais nasceram na China (por volta de 3.000 a.C.) com o nome de Wei-Hai, mas somente na década de 50, nos Estados Unidos, ele foi utilizado com o objetivo de treinar profissionais da área financeira.

No início dos anos 80, os jogos passaram a fazer parte da grade de ensino do Brasil, elevando o número de universidades que passaram a incluir essa disciplina. Seu principal objetivo é proporcionar ao jogador um laboratório para testar seus conhecimentos e competências na prática, agregando novas perspectivas.

Saiba neste post qual o objetivo dos jogos empresariais, além de sua importância e modalidades.

Qual a finalidade dos jogos empresariais?

Os jogos garantem um melhor aprendizado e treinamento das habilidades por meio de uma metodologia de simulação que interage com situações definidas pelos participantes, saindo da teoria e, literalmente, pondo a mão na massa.

Esse tipo de ação visa buscar resultados qualitativos dos jogadores, sendo o objetivo do jogo estimular a capacidade já existente em cada participante. Seu intuito é de implementar e aprimorar o planejamento estratégico, incitar o pensamento criativo, permitir a observação de processos e melhorar o trabalho em grupo.

Seus desafios estimulam o aprendizado dos estudantes e permitem que eles vivenciem assuntos e cenários do ramo empresarial, capacitando-os para a realidade do mercado de trabalho.

Os jogos empresariais oferecem uma nova perspectiva, saindo do tédio das aulas convencionais e aplicando na prática as teorias aprendidas em sala de aula. Seus principais objetivos são:

  • Treinamento: desenvolver nos alunos a capacidade de tomar decisões por meio de experiências e exercícios num ambiente fictício, tão semelhante quanto possível à situação real, na qual desafios terão que ser verdadeiramente enfrentados.
  • Técnicas: ensinar métodos de administração de empresas de maneira simples e intuitiva por meio do cenário apresentado.
  • Pesquisas: fazer uso do cenário criado pelo jogo para descobrir maneiras de resolver problemas empresariais; explicar e testar os elementos das teorias econômica e administrativa e fazer uma análise comportamental individual e grupal dos jogadores.

Qual a necessidade desses jogos?

Hoje em dia, as companhias necessitam de profissionais multifuncionais que sejam criativos, flexíveis, dinâmicos, proativos, empreendedores e que entendam as dores do cliente. Por esses motivos, foi revista a utilidade de oferecer treinamentos aos profissionais com perfis promissores. Assim, os jogos de empresas vêm sendo muito utilizados pelas instituições de ensino e organizações.

Características básicas

Existem sete características básicas dos jogos de empresas. Confira:

  • os jogos apresentam um ambiente fictício que demonstra os elementos do panorama real não nitidamente representados por pessoas nos jogos;
  • todas as condições de decisão estão apresentadas nos padrões dos jogos, embora algumas de maneira simples e precisa, enquanto outras só são reveladas de modo bastante genérico e superficial;
  • eles desenvolvem interações entre os jogadores e o meio simulado, como firmas competindo por um mercado;
  • por mais complicados que sejam, os jogos serão sempre mais fáceis do que a realidade;
  • definem participações distintas, sejam estas organizadas ou não;
  • possuem regras claras, objetivas e bem definidas pelos participantes;
  • há livre criação de cenários para um jogo envolvente e atrativo.

Jogos empresariais são muito dinâmicos e flexíveis. Em vista disso, o professor ou consultor pode adaptá-los quando desejar, alterando as tendências socioeconômicas e incluindo as modificações da legislação.

Fases de um jogo de empresas

  • Elaboração: criação de um ambiente adequado, com um debate, exercício ou, até mesmo, alguma demonstração. Esclarecimento da finalidade do jogo, como ele pode somar no entendimento do curso, a ação desejável e outros fatores importantes.
  • Orientações: escolha de papéis, elaboração do cenário e regras do jogo.
  • Ensaio: faz-se uso em jogos mais complexos para o “aquecimento” e, caso necessário, o reposicionamento dos participantes.
  • Durante o jogo: o professor ou consultor acompanha o andamento do jogo, como um diretor, a fim de notar alguns detalhes da dinâmica para auxiliar os participantes e monitorar o desenrolar do jogo.
  • Análise do jogo: troca de informações dos alunos participantes e comentários imparciais do professor ou consultor.
  • Propagação: fase em que os jogadores procuram transportar a experiência vivida no jogo para situações reais.
  • Término e complementação: feedback geral do tutor com um resumo das conclusões de cada grupo. Fornecimento de material para a complementação do conhecimento recém-obtido.

Quais as modalidades de jogos empresariais mais conhecidas?

Jogos comportamentais

São aqueles com foco nas habilidades de comportamento, nos quais o orientador concentra-se em atributos, como:

  • relacionamentos em grupo;
  • cooperação;
  • afetividade;
  • flexibilidade;
  • cordialidade/gentileza;
  • confiança.

Esse tipo de jogo é muito útil para o desenvolvimento pessoal.

Jogos de mercado

São utilizados a fim de reproduzir incidentes de mercado, como relação entre empresas e fornecedores, pesquisa de mercado e concorrências.

Jogos de processo

Visam analisar e desenvolver as habilidades técnicas dos jogadores. São elaborados para que eles possam atingir seus objetivos por meio de processos simulados, como:

  • montagens estratégicas;
  • negociações;
  • liderança de grupos;
  • administração de finanças;
  • gestão de estoques.

Jogos funcionais

São os que focalizam nas áreas mais importantes de uma empresa:

  • marketing;
  • produção;
  • operações;
  • RH;
  • contabilidade.

Mesmo que decisões de outras áreas tenham que ser tomadas, o foco do jogo se concentra apenas no setor escolhido.

Jogos sistêmicos

São mais globais, ou seja, abrangem uma simulação da empresa como um todo, incluindo a tomada de decisões e a integração dos principais setores organizacionais. Estes são os jogos mais sofisticados e, normalmente, mais desafiadores e são conhecidos, também, como simuladores gerenciais ou de empresas.

Quais os impactos na aprendizagem do aluno?

Com as experiências vivenciadas nos jogos empresariais, a aprendizagem é refletida na mudança de comportamento do aluno em determinadas situações — a alteração de padrões e perspectivas de pensamento, por exemplo.

Os obstáculos superados se transformam em novas técnicas de gestão que aumentam a produtividade diária do profissional participante. Ele passa a compreender que seus erros no jogo podem acontecer também no ambiente empresarial e que essa experiência é a oportunidade de corrigir suas atitudes dentro da organização para a tomada de decisões mais assertivas.

Com as informações expostas ao longo deste artigo, esperamos que você tenha compreendido a importância dos jogos empresariais na complementação do ensino da administração de empresas. Afinal, tudo que é posto em prática torna-se mais fácil de compreender.

Gostou deste post e quer mais conteúdo? Assine a newsletter e receba nossos textos por e-mail!